Henriquecer94-B

Neste post queria convidá-los a olhar a liberdade como a verdadeira riqueza. Muito mais do que simplesmente bens e ativos financeiros, a liberdade compreende independência e tempo disponível, tão escasso nos dias de hoje.

A liberdade não deve ser simplesmente exigida, mas CONQUISTADA com esforço, inteligência, humildade, disciplina e paciência. E sempre de maneira honesta, é claro.

Refém do status: o mimo VS. provar algo a alguém.

Comprar um carrão, ter uma mansão na beira da praia, viajar de primeira classe… quem não gostaria? No entanto, querer nem sempre é poder. O problema é que muita gente atinge esse tipo de status sem efetivamente poder. O endividamento é um dos meios mais básicos de se enrolar para manter alguns “luxos” mas não é o único. Consumir luxo sem ter uma reserva de segurança e nem investir na aposentadoria podem te levar do luxo ao lixo em pouco tempo.

Com o codinome “conforto”, o luxo pode tornar o individuo dependente a ele. Pobre em liberdade. A verdade é que mesmo sem admitir, em algum grau, todos somos reféns de 2 sentimentos perigosos: i) O mimo: “Ahh eu vou jantar neste restaurante caro porque afinal, ando trabalhando tanto que mereço” Merece mesmo? Se sim, não há nada de errado nisso. Mas simplesmente trabalhar demais não te faz merecer. Ter uma situação financeira que te permita esse luxo sim. Não torne você mesmo um mimado, seja realista. Infelizmente, na vida, o esforço por si só não significa sucesso. Ele é um dos caminhos que pode nos levar lá, mas é preciso mais.

ii) Você quer provar algo para alguém: as vezes seu orçamento até comportaria você morar num apartamento melhor ou ter um carro do ano mas o preço disso pode ser você parar de investir, sacrificar sua aposentadoria ou reserva de segurança. Ou seja, você troca sua saúde financeira pelo luxo. Dessa maneira, você pode acabar se tornando refém do status. No mais, sem um colchão de segurança financeira, você pode ver tudo isso ruir em muito pouco tempo.

PS.: Cuidado para não se tornar um Rei do Camarote – refém de status. Não é a roupa de marca, nem a Ferrari, nem o camarote ou uma bebida que pisca que te fará mais rico.

Grau de independência como medida de riqueza

Neste sentido, proponho como real medida de riqueza a liberdade. Liberte-se desse vício de mimar a si mesmo, de tentar provar o tempo todo algo a alguém, de manter um status que não pode sustentar de maneira financeiramente saudável. Convido-o a refletir: Quem é mais rico: a) o João Rodolfo que tem um patrimônio de R$100 mil e gasta em média R$50 mil por mês ou b) Chiquinho com patrimônio do R$ 20 mil e gastos mensais de R$2 mil? Pela forma tradicional, João Rodolfo com um patrimônio maior, seria considerado mais rico. Mas minha proposta é ir além. Ora, se a verdadeira medida de riqueza é a liberdade. João Rodolfo caso perca sua fonte de renda, poderá com todo seu patrimônio manter seu padrão de vida por apenas 2 meses. Já Chiquinho, mesmo tendo apenas 1/5 do patrimônio de João Rodolfo, pode manter seu padrão de vida por 10 meses. Chiquinho tem independência financeira maior.

No conceito tradicional, riqueza é medida apenas em função do patrimônio que o indivíduo possui. O que proponho é ajustar esse conceito ajustando seu patrimônio ao seu padrão de gastos.

Quanto tempo você consegue viver sem trabalhar ou de forma mais ampla, sem renda?

Essa medida inclui na medida algo que a tradicional ignora: a inteligência financeira. Mais gastos não significam melhor padrão de vida. É importante lembrar que muitas pessoas, por desconhecimento ou maus hábitos, desperdiçam muito dinheiro. Outros, fazem melhor uso do dinheiro e conseguem proporcionar a si próprios e a família padrão de vida mais elevado com menos dinheiro.

Índice de Cobertura

Há alguns graus de se medir a liberdade financeira. Como este post trata de medida de riqueza, acredito que o melhor índice seja o de Cobertura Patrimonial. Fórmula: (Patrimônio total)/(Despesas Médias Mensais). Quanto maior o índice, mais independência, ou seja, rico você é.

Henriquecer95

Tempo é dinheiro

Nosso tempo é limitado, e ao meu ver, muito mais valioso que o luxo que consumo pode nos trazer. O tempo disponível que nosso patrimônio pode nos propiciar mede o nosso grau de liberdade financeira e é a melhor medida de riqueza.

A todos, grande abraço!!!

Anúncios