Henriquecer9-B

A melhor definição de preço justo de um ativo é aquele que o mercado está disposto a pagar por ele.

Nos últimos meses o dólar tem passado por uma gangorra. Há momentos em que a sensação é a de que o dólar está artificialmente desvalorizado graças às medidas de estimulo norte americanas, em outros tem parecido supervalorizado por especuladores que andaram se aproveitando da projeção de retirada dos mesmo estímulos.

Mas afinal, qual deveria ser a cotação correta do dólar? Aquela cotação em que usaríamos como um parâmetro para julgar se atualmente ele está alto ou baixo demais?

Embora a gente saiba que o câmbio a vista é sensível a mil elementos distintos como projeções futuras, especulação, diferencial de taxas de juros, investimentos diretos, mercado financeiro, guerras, políticas fiscais, aversão a risco e mais, muito mais…  acredito que se analisarmos o câmbio pelo poder de compra de ambas as moedas, podemos retirar uma relação que possa nos servir ao menos como parâmetro.

A ideia é simples: qual o poder de compra do dólar e do real hoje em comparação ao passado? Qual moeda ganhou mais poder de compra? Esta moeda então estaria valendo mais, certo? E isso poderia levar a uma correção no futuro…

Para analisar isso, o que fiz foi igualar a cotação do dólar e do real em 1/7/1994, o dia do lançamento do Plano Real. Naquele dia, 1 real era igual a 1 dólar, ambas tinham o mesmo poder de compra. A partir de então, a inflação no Brasil foi corroendo o poder de compra da moeda, ao mesmo tempo em que a inflação americana corroía o poder de compra do dólar (embora a cotação permanecesse artificialmente estável – como medida do governo de controle da inflação). Mas como a inflação brasileira no período foi quase sempre mais alta que a americana, é de se esperar que o real deveria ir se desvalorizando em relação ao dólar já que seu poder de compra caiu mais que o do dólar.

Descontando a inflação das 2 moedas no período (de jul/1994 a Out/2013), a “relação justa” pela manutenção do poder de compra seria de R$ 2,76. Ou seja, mesmo com a recente alta do dólar, o real ainda assim continuaria sobrevalorizado em torno de 20% sobre o dólar¹.

Henriquecer97

Isso justifica em parte o porquê de, apesar da inflação estar relativamente controlada, temos a sensação de que tudo no Brasil é muito mais caro quando comparamos com os preços no exterior (embora as melhores explicações para isso sejam outras).

Não sei o que pode vir a acontecer com o câmbio a curto prazo, e como disse, as taxas de câmbio são definidas por muitos fatores distintos. Mas esta analise ao menos parece me confirmar uma desconfiança: de que o real ainda continua valorizado. Por isso acredito que o dólar tenha espaço para subir ainda mais.

Um grande abraço e lembre-se que estas análises não devem ser tratadas como recomendações.

PS.: ¹ pesquisa feita em 21/11/13 (cotação final desta data)

Anúncios