Henriquecer999991

“Tostines vende muito porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende muito?”

Em 2013 o Ibovespa caiu 15% e o dólar subiu 14%. Poderia até ser pura coincidência mas não é.

Desde 1999, quando o câmbio no Brasil se tornou flutuante, sempre que a Bolsa sobe, o dólar cai e vice versa (a única exceção foi 2012).

Isto ocorre por dois motivos:

1)      As boas expectativas em relação a economia brasileira causam os 2 efeitos: queda do dólar e alta na Bolsa

2)      Quando a Bolsa sobe, os investidores internacionais ganham dinheiro de 2 formas: com a valorização do real e com a valorização da Bolsa.

A valorização da Bolsa faz com que muitos investidores internacionais invistam no Brasil e, como muitos dólares entram no país, o Real se valoriza. Por outro lado, se o investidor acredita que o Real irá se valorizar, ele se sente confiante em investir no país. É um efeito de mão dupla onde uma coisa estimula a outra. Ou, em outras palavras, Tostines vende muito porque é fresquinho e é fresquinho porque vende muito!

Mas o inverso também é verdade e isso explica muito da queda do Ibovespa em 2013. É claro que a situação fiscal do país deteriorou, há incertezas, que o PIB não cresce e que tivemos em cena outras questões muito importantes no ano – como os casos da Petrobras e das empresas do Grupo X. Mas a melhor explicação para o desabamento da Bolsa brasileira é a alta do dólar. Quando o Fed acenou com a retirada dos estímulos no meio do ano, os investidores passaram a projetar um dólar maior. Quem tivesse investimentos em real perderia com a desvalorização da moeda. Isso fez com que muitos estrangeiros saíssem da Bolsa Brasileira. E ela caiu.

Abaixo está o gráfico do comportamento do Ibovespa x Dólar desde 1999. Repare que sempre que um sobe o outro desce.

Henriquecer999992

No entanto, o real desvalorizado torna nossos custos mais baixos e os nossos preços mais competitivos internacionalmente. Como uma parcela grande do Ibovespa é composta por empresas exportadoras, quanto mais barato estiver o Real, melhor.

Ora, então isso quer dizer que as empresas estão melhores exatamente quando a Bolsa está mais barata? Sim. É claro que isso é apenas uma parte da história, mas em resumo podemos dizer que sim. Ao menos para nós investidores brasileiros. Para o investidor internacional não basta as empresas irem bem se o real vai mal.

Não sei exatamente em que ponto o real parará de se desvalorizar e quando sentiremos os efeitos positivos dessa desvalorização, mas acho que a coisa está começando a ficar mais interessante para o nosso lado…

A todos um grande abraço!

Anúncios