Há menos de 10 anos, lembro de um amigo meu ter reclamado de pagar 27,5% do salário dele em Imposto de Renda. Comentei brincando que para ele pagar 27,5% do salário dele em IR, ele teria que ganhar muito.

Assim como ele, muita gente acha que o percentual do salário que paga de imposto de renda é igual à alíquota máxima da faixa do imposto em que se enquadra. Se você está na faixa da alíquota de 27,5% de IR, por exemplo, isso não significa que você de fato contribua com os 27,5%. Isso porque até uma determinada faixa salarial, todos somos isentos, independente do salário que ganhe. As alíquotas de IR incidem apenas sobre o valor que excede a isenção.

Um exemplo: digamos que o Zezinho ganhe de salário R$6.000. Sabe quanto ele paga de IR? Algum chute? Bem, pela tabela do IRPF de 2014/15, ele paga exatamente R$691, ou 12% do seu salário – beeem longe dos 27,5%.

Depois que meu amigo me jurou pagar 27,5% do salário dele em IR, resolvi fazer a conta. Aparentemente, ele devia ganhar por mês um salário bruto de R$2.559.597,60 (dois milhões quinhentos e cinquenta e nove mil e lá vai uns quebrados).

É possível, mas acho mais provável que ele não soubesse fazer a conta direito. Diga-se de passagem que, mesmo quem ganha esses mais de dois milhões e meio, não paga 27,5% do salário em IR. Eu fui gentil e arredondei 27,45% para 27,5%.

Outra besteira também comumente ouvida é a de que “agora que recebi aumento, estou recebendo menos porque mudei de faixa no Imposto de Renda”. Isto é matematicamente impossível. Além de que seria uma tremenda injustiça, concorda? Se isso fosse verdade, alguém deveria ter dado um toque no Sr. Ministro da Fazenda. Mas não é verdade. É o tipo de mito criado pelo baixo nível de educação financeira no país.

Bom, mesmo que você não ache que quem ganha mais, na verdade ganha menos (fico imaginando se já houve alguém que tenha pedido para o chefe não aumentar o salário com medo de acabar recebendo menos), é bom saber como calcular direitinho o seu salário líquido, afinal de contas é ele e não o salário bruto, que paga as contas.

A tabela básica do Imposto de Renda para pessoa física em 2014 é esta:

IR

É importante ressaltar que é o de 2014 porque geralmente todo ano muda um pouquinho. Essas alíquotas devem ser aplicadas descontando-se já do salário a contribuição do INSS, que segue a tabela abaixo:

INSS

As mágicas presentes no cálculo do Zezinho começam com o fato de que o IR dele não incide sobre os R$6.000 bruto, mas sobre R$5.517, que é o valor bruto descontado da contribuição dele para o INSS – de R$483.

Além disso, como vocês podem ver na tabela do IR, quem ganha até R$1.787 (de salário bruto – desconto do INSS) não paga nada de IR. Isso vale para todos nós, inclusive para o Zezinho. Os primeiros R$1.787 do total de R$5.517 são isentos. Então, sobram só R$ 3.730 para tributar.

Mas ainda não basta aplicar 27,5% sobre esse montante, porque quem ganha entre R$1.787 e R$ 2.679 paga a alíquota de 7,5% sobre o que excede os R$1.787. Então, sobre esta faixa Zezinho paga a mesma alíquota de 7,5% ou R$67 ((2.679-1787) x 7,5%) .

Da terceira faixa ele pagará a alíquota de 15%, ou R$134 ((3.419- 2.564)*15%). Assim por diante, até que na última faixa, a de 27,5%, ele pagará 27,5% do que exceder os R$4.464. Ou seja, 5.517 – 4.464 = 1.053 x 27,5% = R$290. Então, bastaria somarmos o quanto ele deve pagar em cada faixa e teríamos o valor de R$691. Pela continha: 1ª faixa = isenta + 2º faixa = 67 + 3º faixa = 134 + 4ª faixa = 200 + 5ª faixa = 290 = 691. Tchanran!!

Base-IR

Confuso? Desculpa, mas eu quis mostrar como é a ideia que está por trás do IR, de modo que nunca alguém que ganhe um salário bruto maior vai ganhar um salário líquido menor. Mas existe uma forma muuuito mais simples de fazer essa conta (Ufa!). Basta multiplicar o seu salário bruto descontado do INSS pela alíquota correspondente a faixa que você se encontra e diminuir deste valor esta “parcela a deduzir do imposto em R$” que consta na tabela. No caso do Zezinho, os R$5.517×27,5% = R$1.517 – R$826 = R$691. Bem mais simples e fácil, né?

Base-IR Simples

No mais, fiz esse simuladorzinho aqui para que você possa ter noção de o quanto você paga de que. Basta, como sempre, logar em Sign up no Google e depois clicar na setinha para baixo no canto superior esquerdo da tela.

É muito importante saber o quanto a gente ganha para que a gente possa se planejar (e também para não pagar mico por aí). Eu bato sempre aqui no controle dos gastos e dos investimentos, mas raramente falo sobre o controle da receita. E neste aspecto, convenhamos, o que importa mesmo no final, é o seu salário líquido.

A todos um grande abraço!!

PS.: As imagens no post estão pequenas, peço perdão. Mas para visualizá-las melhor funciona se você clicar em cima de cada uma delas, vai abrir um link com a imagem um pouco maior.

Anúncios