Sabático

Se engana quem acha que este é um blog sobre dinheiro. É sobre liberdade, independência… sobre como fazer escolhas inteligentes, capazes de te trazer o melhor da vida…

Todos sonham ganhar na Mega Sena um dia… a maior parte por um objetivo maior: esticar as pernas na praia e não fazer po##@ nenhuma… claro, viajar, arrumar um hobby, ter tempo para fazer o que gosta.

Embora esse seja o objetivo principal quando se pensa em ganhar dinheiro, uma série de erros, distrações e tentações acabam levando a maioria das pessoas a desvirtuarem desse caminho… enfim, erros dos mais variados e que regularmente eu cito por aqui…

É um trade off, uma troca… bens e tempo. É claro que na medida do possível, todos gostaríamos de andar de 1a classe, almoçar qq dia de semana num restaurante caro só de bobeira, ter um barco… isso tudo é bom, mto bom! Mas não é o mais importante, não aqui! É secundário… O objetivo principal é com a liberdade, a independência, segurança…

O dinheiro não é o objetivo, ele é só o instrumento para alcançar isso tudo…

Como se diz, dinheiro não traz felicidade, mas permite sofrer em Paris…

A pessoa que tem um bom grau de independência financeira pode decidir mudar de trabalho para fazer o que gosta, tirar um tempo para repensar a vida, dar uma volta ao mundo, decidir dar o grande passo que é casar e ter filhos… coisas que geralmente não são feitas pela mesma desculpa: falta dinheiro.

Enfim, e eu venho sempre aqui para dizer que é possível! Com disciplina, força de vontade e conhecimento, vc pode montar uma estrutura financeira que suporte tomar decisões importantes para sua vida.

Nem tanto ao sul, nem tanto ao norte… Da mesma forma que ninguém deve viver apenas aproveitando a vida o tempo todo [claro, porque é preciso conquistar], ninguém deve passar a vida se esforçando sem suas devidas recompensas… É preciso um equilíbrio.

Hoje, muita gente acredita que largar um emprego para um período sabático é perigoso… ficar longe do mercado de trabalho, ter que justificar o pq dessa decisão numa futura entrevista de emprego… hmmm, e é verdade, AINDA.

Esse é o tipo de pensamento retrógrado, conservador que ainda existe mas não deve durar mto tempo…

O mundo ta mudando e é preciso estar atento às mudanças. Trabalhar sem parar que nem louco, dia e noite, workaholicly é mto anos 80/90, perfil corretoras de valores que dava mta grana, mto stress… era chique, mtos números, gráficos, palavras difíceis… ahhh a bolsa de valores, era onde todo mundo queria estar! Mto Nova Iorque…

Bem, o mundo mudou… hoje essas corretoras e bancos de investimentos ainda preservam algum glamour, mas pergunte para um garoto que acabou de entrar na faculdade onde é o topo. É bem capaz que responda Google. Não é o google em si, mas são as empresas de tecnologia, São Francisco, California, é home office, jornada flexível, produção acima do tempo trabalhado, períodos sabáticos… meu Deus, quem desconfiaria que os nerds eram tão cool?

Mas não são só as empresas de tecnologia… esse efeito se espalha por todas as indústrias… é uma forma das empresas seduzirem os melhores, e é onde os melhores querem estar.

Não é que a geração Y seja especial nem nada. É que é apenas uma nova geração com novos valores e uma nova forma de pensar, mais libertária e progressista. Toda geração nova muda algo e essa mudança ocorre aos poucos… mas se não tiver atento, pode simplesmente acordar um dia sem reconhecer o mundo em que vive.

Houve um tempo que mudar de emprego era mto mal visto. Hoje, nem tanto. É experiência… usar linguagem excessivamente formal e vestir um terno para o trabalho no passado era regra… em mtas empresas hj em dia é careta, ultrapassado…

Nos anos 60/70, ter um diploma de ensino superior te garantiria um bom emprego. Já nos anos 80/90 quem falasse inglês tinha um diferencial no mercado de trabalho.

Nos anos 2000/10 ter uma graduação ou pós no exterior ainda é mto bem recebido… mas assim como cada uma das habilidades anteriores tem deixado de ser um diferencial. Há um bom tempo, essa experiência de estudos no exterior tem deixado de render promoções imediatas a quem retorna. E isso não significa de forma alguma que esteja perdendo valor. Pelo contrário, tem deixado de ser um diferencial e aos poucos, acredito que se tornará uma exigência do mercado como hj é a graduação e o inglês… esse é o caminho…

Para isso ocorrer (uma pós no exterior), é preciso sair do mercado de trabalho por um tempo, tirar um período sabático para estudar, repensar a vida e talvez até aproveitar para dar aquela voltinha no mundo que vc sempre quis… É preciso abandonar o antigo e olhar para frente, para o novo. Se adequar ao novo mundo que está pela frente…

Hj mesmo no Brasil tem uma universo de jovens nos EUA, na Europa etc estudando pelo ciências sem fronteiras… Esse caras vão voltar, amadurecer, entrar no mercado de trabalho e transformá-lo. Além deles, até crianças de 11 e 12 anos já estão fazendo intercâmbio para fora…

Esse é o novo ambiente que estamos caminhando para viver… um desses caras pode ser seu novo chefe ou pior, roubar seu emprego… e o pior é que ele pode fazer isso logo depois de retornar de sua volta ao mundo, que ele fazia enquanto vc estava no escritório atualizando planilhas…

Mas para tirar um tempo, morar fora… é preciso independência… foi assim que comecei o artigo hoje. É preciso conquistá-la, ganhar mais e gastar com inteligência… Planeje-se!

Ahhh, por fim, queria dizer que os corretores de valores de NY dos anos 80 precisavam trabalhar muito para sustentar seus passeios de iate nos raros finais de semana sem trabalho…

Os geeks de São Francisco dão a volta ao mundo em um ano. Eles podem tirar um ano sabático entre outras coisas pq a volta ao mundo deles é de mochila…

É a vingança dos nerds!

Life moves pretty fast. If you don’t stop and look around for a while, you could miss it. (Ferris Bueller’s Day Off)

Some times the prettiest things can be the simplest things.

Ate a próxima!

Abraços

Mail Box - 2

Anúncios