Tempo é dinheiro

Quanto vale o seu tempo? Por quanto você estaria disposto a vendê-lo?

Boa pergunta… um bom parâmetro seria olhar para o quanto você está recebendo por ele no momento. Qual é o seu salário por hora? Este é apenas um parâmetro, mas na ausência de indicador melhor, vamos com ele mesmo.

No Brasil, a forma de calcular o salário por hora é um pouco estranha. Para o cálculo é considerado domingos e feriados de descanso como se fossem horas trabalhadas. Pela lei, para chegar ao salário por hora divide-se o salário bruto mensal por 220 horas caso a jornada semanal seja de 44 horas ou 200 horas para jornadas de 40 horas (180 horas para as de 36 e assim por diante).

Lei é lei, okay. Mas na hora de analisar de fato o valor da minha hora… não para fins legais mas para realmente entender o quanto vale minha hora, prefiro seguir uma abordagem diferente, mais completa… uma abordagem que leve em consideração não apenas o salário bruto mas todos os benefícios oferecidos e os descontos legais e além disso, o tempo realmente empregado no trabalho.

Assim eu posso ter uma ideia mais realista de o quanto eu recebo por uma hora de trabalho porque, afinal de contas, os benefícios devem sim ser levados em conta, ao passo que por outro lado, não vejo mta utilidade em medir meu salário com base no bruto se o que recebo é o líquido.

A ideia é colocar na ponta do lápis tudo o que recebo da empresa e que caso parasse de trabalhar, teria que desembolsar eu mesmo, como por exemplo, os vales alimentação e refeição. Se não recebesse, teria que almoçar do mesmo jeito, ou seja, é o mesmo que dinheiro líquido.

Por outro lado, não sei até que ponto vale a pena considerar o vale transporte como um benefício caso seu uso esteja relacionado apenas ao deslocamento até o trabalho porque caso não trabalhasse, não usaria.

Enfim, fiz um simulador no excel (baixe aqui) que pode te ajudar a calcular o seu valor recebido por hora de trabalho (ou horas relacionadas ao trabalho como por exemplo, o tempo gasto no trânsito).

É um material bem maleável, você pode mexer inclusive nos descontos e salário líquido apesar de já ter uma fórmula calculando os valores. Se quiser colocar um gasto (ao invés de benefício) relacionado ao trabalho, como por exemplo, a gasolina gasta mensalmente no deslocamento, basta colocar o valor negativo em benefício.

Essa abordagem leva em consideração tudo o que se ganha em uma hora de trabalho, incluindo o 13º e férias proporcionais a 1 hora de trabalho, além do FGTS equivalente… é claro que é uma abstração… mas bem próxima a realidade e é a melhor maneira de valorar o seu tempo.

Em relação às horas extras, apesar da lei dizer que recebemos 50% a mais por cada, na realidade, como citei anteriormente que a lei inclui no total de horas trabalhadas, os domingos e feriados, e como não há alteração em benefícios devido a horas extras (apesar de exceções, geralmente não se recebe benefício a mais por conta de horas extras), na realidade, em geral, a hora extra não corresponde de fato à 50% mais do valor por hora que eu calculo.

Bom, descoberto o quanto recebemos por hora de trabalho, para que serve tudo isso? Para valorar o dinheiro em medida de tempo e vice versa. Tempo é dinheiro e dinheiro é tempo. Sabendo o valor da nossa hora, podemos pensar no preço das coisas como “quanto tempo a gente leva para gerar aquele dinheiro”. Para quem recebe R$20 a hora, uma televisão de R$1.800 equivale a 90 horas de trabalho. Um salgado de R$5 equivale 15 minutos e por aí vai…

Serve ainda como medida de valor do nosso tempo, como citei no inicio do texto. Isto serve para usarmos como parâmetro num cálculo rápido de custo de oportunidade. Ou seja, para esta pessoa cuja hora vale R$20, não seria racional gastar ½ hora para economizar R$5. Só o tempo dela vale mais que isso.

Enfim, muita gente ainda se gaba por “não ligar mto para dinheiro”, mas e para o seu tempo, vc liga?

A todos um grande abraço!

 

Mail Box 3

Anúncios