HenriquecerCDB x Poupança

Quem não acompanha muito o mundo financeiro costuma ler ou ouvir qualquer coisa alguma vez e leva esse conhecimento para sempre. Por exemplo, há anos escuto recorrentemente coisas como “investir na poupança é muito ruim” ou “com bastante dinheiro você consegue investimentos que rendem pelo menos 1% ao mês”.

Mas acontece que o mercado financeiro é dinâmico. Cada dia é um novo dia, com novas condições, um novo ambiente. Atualmente, por acaso, o rendimento da poupança está bem abaixo de outros produtos com risco parecido e abaixo até da inflação. Hoje também é possível receber rendimentos superiores a 1% ao mês (aliás nem precisa ter muito dinheiro para isso).

Mas nem sempre é assim. Em 2012 e início de 2013, por exemplo, quando a Selic estava a 7,25% ao ano, a poupança era um dos produtos mais interessantes entre os de liquidez diária. Na mesma época, nem que você tivesse muito dinheiro iria encontrar um investimento de renda fixa que rendesse mais de 1% ao mês.

Por isso é bom estar sempre atento, ler, estudar… e é por isso que vim trazer uma atualização sobre o que é melhor investir: na poupança ou num CDB de liquidez diária?

Antes de entrar num resumo sobre as características dos 2 produtos preciso dizer que eles são comparáveis exatamente por terem o mesmo risco. Então, quem está pensando “não sei se invisto num CDB – estou com medo de sair da poupança” corta essa agora. Não há nenhuma diferença em termos de risco. Nenhuma! Os produtos são muito parecidos com pequenas diferenças como vou mostrar abaixo.

A Caderneta de Poupança:

A grande vantagem da Poupança ao meu ver é o fato dela ser simples e homogênea. Em qualquer banco brasileiro, a qualquer momento, as regras são exatamente as mesmas. Isso traz uma tranquilidade para quem não entende muito de finanças.

Na Poupança todo o ganho é líquido. Não tem cobrança de IOF e nem de Imposto de Renda, tudo muito simples e claro.

Além disso, a poupança, assim como os CDBs, é considerada um investimento seguro já que o Fundo Garantidor de Crédito cobre possíveis perdas (como falência de bancos etc) até 250 mil reais por CPF.

O grande problema é sua rentabilidade. Desde maio/12 existem no Brasil 2 Poupanças:

1) a Poupança Antiga engloba todos os depósitos realizados até mai/12: rende 0,5% + TR (Taxa Referencial) sempre.

2) depósitos realizados após mai/12, a Poupança Nova: a remuneração variará em função da Selic. Se a Selic estiver maior que 8% a.a., como no momento atual, ela se comporta exatamente como a Poupança Antiga (0,5% + TR). Se a Selic ficar abaixo de 8% a.a. aí ela passar a render 70% da Selic + TR.

Eu digo que a rentabilidade é o ponto fraco da Poupança por 2 motivos:

1) Como a inflação no Brasil tem fases de pico, a poupança não se apresenta como um bom refúgio. Além disso, o principal instrumento monetário do Governo para combater a inflação é através da alta dos juros. Mas o impacto do aumento da Selic na remuneração da Poupança é bem baixo, e por isso, em muitos momentos, a rentabilidade da Poupança acaba perdendo para a inflação.

2) A Poupança só rende no que se chama de “data de aniversário” da aplicação. Se você aplicou seu dinheiro no dia 5 de novembro, o rendimento desse montante se dará no dia 5 de dezembro. Ou seja, se você sacar a sua aplicação no dia 4 de dezembro, não vai receber juros nenhum pela aplicação. Na minha opinião, essa é a principal desvantagem da Poupança frente o CDB.

CDBs:

O nome completo é Certificado de Depósito Bancário e se assemelha a uma Caderneta de Poupança. As principais diferenças são a) Os CDBs não são padronizados, b) tem rentabilidade diária, c) Sobre os ganhos incidem IOF e Imposto de Renda.

Em termos de segurança são idênticos: ambos garantidos pelos mesmos montantes pelo FGC. Vamos esmiuçar um pouco mais essas diferença e ver onde cada uma ganha da outra (CDB x Poupança).

a)       Os CDBs não são padronizados. Como disse acima, a Poupança é idêntica independente do banco e do valor que você faça a aplicação. Com os CDBs não é assim. Existem inúmeros tipos de CDBs disponíveis no mercado e as condições variam de banco para banco. Existem CDBs com liquidez diária e com liquidez apenas no vencimento. Existem taxas pré fixadas (como por exemplo 10% a.a.) ou pós fixadas em função do CDI (exemplo 85% do DI) – as mais comuns.

Dependendo da sua relação com o banco, você ainda tem espaço para negociar uma taxa específica pro seu depósito com o seu gerente. Essa quantidade de variações pode ser boa ou ruim. Se por um lado pode te deixar meio confuso, por outro você tem a possibilidade de escolher o CDB que mais se encaixe ao seu objetivo.

b)      Rentabilidade diária. Deixar o dinheiro por 20 dias na Poupança e nada dá no mesmo. No CDB não é assim. Cada dia que você deixar sua aplicação, ela estará rendendo.

Na prática, quando você usa o dinheiro de forma recorrente você não espera exatamente 30 dias para sacá-lo… Se você sacar uma aplicação da poupança com 50 dias, seu rendimento será referente a apenas os 30 primeiros dias. Já o CDB te remunerará pelos 50 dias totais.

c)       Diferente da Poupança, no CDB incidem impostos sobre os seus ganhos. São o IOF e o Imposto de Renda. Ambos são impostos regressivos, o que significa que quanto mais tempo você deixar sua aplicação, alíquotas menores de imposto pagará. Com 30 dias de aplicação, o IOF zera. O IR varia de 22,5% (alíquota máxima para até 180 dias) a até 15% (alíquota mínima para aplicações superiores a 720 dias).

Já ouvi perguntas como “Riko, queria migrar da Poupança para um CDB. No CDB tem imposto?” E no que disse que sim a pessoa respondeu “Ah, então deixa”. Por favor, não faça isso.

É muito importante lembrar que esses impostos incidem apenas sobre OS GANHOS. É impossível você sacar menos do que aplicou por conta de impostos. Por favor, nunca esqueça isso! Além disso, o imposto é recolhido na fonte, ou seja, você não precisa nem se preocupar com ele – ele não onerará sua declaração de IR no fim do ano e nem nada parecido.

Cabe citar ainda que mesmo CDBs de liquidez diária possuem uma liquidez um pouco menor do que a da Poupança já que os saques e as aplicações acontecem sempre em dias/horários úteis. Isso não chega a ser uma vantagem forte o suficiente da Poupança sobre o CDB, mas é digna de observação.

Há também uma boa diferença na remuneração entre CDBs de grandes bancos e de bancos médios/pequenos, que costumam oferecer taxas muito mais atrativas.

Abaixo mostro uma comparação entre a Caderneta de Poupança e 3 tipos de CDBs. A Poupança é sempre a mesma. Os CDBs, simulei 3 situações para depósitos com liquidez diária: i) uma simulando uma aplicação simples num banco grande (Itáu, BB, Bradesco etc.) com remuneração de 80% CDI; ii) uma aplicação relativamente alta (digamos maior que 20 mil reais) num banco grande, com remuneração de 90% CDI; iii) por fim, simulando uma aplicação num banco médio/pequeno com a excelente remuneração de 100% CDI.

Em azul, os prazos em que o CDB é melhor do que a Poupança.

CDB x Poup 2015

Atualmente, em geral, os CDB estão rendendo mais que a Poupança. Como disse no início, é bom ter cuidado para não achar que será sempre assim e estar atento às mudanças no mercado. Hoje isto acontece porque os juros básicos da economia estão bem altos.

Seu banco pode te oferecer CDBs com rendimento inferior aos 80% – especialmente se você fizer o investimento pelo bankline. Neste caso, recomendo enviar um e-mail rápido para o seu gerente “Prezado, peço por gentileza para depositar R$X num CDB de liquidez diária”. Se a remuneração ainda assim não superar os 80%, recomendo ligar para ele.

No mais, desejo a vocês bons investimentos!!

Abraços!

Nota: Foram considerados para a simulação o CDI de 1,1074% e TR de 0,1920%, ambos referentes a Setembro de 2015.

Mail Box 3

Anúncios