-

De olho

Em novembro, a Lava Jato chegou ao setor bancário com a prisão do André Esteves do BTG, fazendo o banco perder em um único dia 1/3 de todo seu valor de mercado. A queda só não foi maior porque o banco anunciou a recompra de suas ações no mercado. Mas até que ponto um único player (o próprio banco) será capaz de segurar todo o mercado? Como estão os resgates no banco? É de interesse público porque bancos do porte do BTG são capazes de gerar caos sistêmicos. Mal comparando, mas lembram do que o Lehman Brother causou no mundo inteiro?

 

Agora é com ele

O CEO interino é Persio Arida, sócio de Esteves e segundo nome no banco. A história de Pérsio não começa no BTG. Ele é um dos economistas de maior influência no Brasil dos anos 80/90, em especial com relação a estudos sobre a inflação no país. E pela importância que teve no Plano Real, foi presidente do BACEN, além do BNDES.

 

É ruim mas será bom

Num ambiente macroeconômico já conturbado e recessivo, a Lava Jato só piora a situação econômica do país.  Mas hoje. No longo prazo, torçamos que a operação seja um marco da ruptura com esta “cultura” de corrupção no país que vai desde falsificação de carteirinha de estudante ao suborno nos mais altos níveis do governo (passando por empresas privadas, públicas e todo mais). Chega! Está na hora de movermos adiante.

E se o Delcídio resolver abrir a boca também…

 

É Bi!

Falando em recessão, as expectativas mais recentes são de contração de 3,2% este ano e de 2,0% no ano que vem. Dois anos consecutivos de recessão não acontecem no Brasil desde a década de 1930.

 

Alta de juros a frente?

Estamos chegando em 2016 e o mercado já não acredita no cumprimento da meta de inflação no ano que vem. Vamos adiar o atingimento da meta de novo? Ano a ano temos feito isso em relação ao centro da meta (que já é alto aos 4,5%). Agora vamos começar a fazer o mesmo em relação ao teto?

Na ultima reunião do Copom, 2 integrantes votaram pelo aumento na taxa de juros. Por enquanto eles foram minoria.

 

Easy comes, easy goes

Macri venceu na Argentina, retirando os Kichneristas-Peronistas do poder. É bem verdade que não foram os Kirchner que arruinaram a economia argentina. Quando assumiram, ela já não estava nada bem, mas em tantos anos será que não poderiam ter feito melhor?

A verdade é que a vitória de Macri pode significar o início do fim dos governos populistas na América do Sul. Dilma, Correa, Maduro e cia agora podem ser vítimas da derrocada do preço das commodities internacionais. A alta em seus preços foi o que os levou a perdurarem por tanto tempo no poder. Mas nenhum governo populista é capaz de resistir a falta de dinheiro.

 

A sorte de ser brasileiro

Segundo Warren Buffet, entre os principais fatores que o tornaram um dos homens mais ricos do mundo está o fato de ter nascido nos EUA, a terra das oportunidades. Mas, a lista de Buffet inclui ainda as taxas de juros compostas.

Com as taxas de juros nas alturas, talvez seja até mais vantagem ter nascido no Brasil. Os títulos do tesouro nacional estão rendendo mais de 7% ao ano acima da inflação com baixo risco. É o pior país do mundo para se endividar, mas o melhor para investir.

 

Pobre Mariana

O desastre de Mariana é um daqueles que faz doer o coração. O povo brasileiro se mexeu, como sempre e rapidamente ajudou na medida do possível a população da área. Mas tem coisas que o dinheiro não compra. Os impactos desta tragédia é uma delas.

 

Ataque à liberdade de expressão

O ataque do Estado Islâmico a Paris foi um atentado aos nosso valores ocidentais de liberdade de expressão, democracia e tudo o mais que eles consideram “valores indignos”. A França é o berço destes ideais. Foi através da Revolução Francesa que estes ideais passaram a ser os valores do mundo ocidental.

Teve gente criticando o jornal Charlie Hebdo que sofreu ataques no inicio do ano. De fato, o jornal é de péssimo gosto, mas liberdade de expressão verdadeira é isso: dar a todos os agentes o direito de se expressar por mais que não concorde com o que tenha a dizer. Ou como diria a frase atribuída a Voltaire “posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.”

Aqui no Brasil, o radicalismo intolerante à liberdade de expressão foi só nas redes sociais. Pelo menos. Ainda assim, em termos de liberdade de expressão, ainda temos muito o que aprender.

 

Guerra na Síria

Para quem quer entender um pouco mais sobre o que acontece na Siria, o video abaixo é um excelente resumo. Recomendo.

 

A todos um grande abraço!

Mail Box 3

Anúncios