HC5

Um pedaço de papel capaz de gerar riqueza, melhorar a qualidade de vida das pessoas, de dar tudo o que querem… já pensou? Pois bem, isto não existe.

Aquele papel que guardamos na carteira e nos acostumamos a chamar de dinheiro, na verdade, é tecnicamente chamado de “papel-moeda”. Ele não é O dinheiro. Ele vale dinheiro.

O montante de dinheiro presente na economia é muito superior à quantidade de papel moeda em circulação. Principalmente hoje em dia em que grande parte das operações se dá através de transações virtuais, por internet banking ou aplicativos no celular, e por cartões de crédito ou débito. Estes recursos reduzem a necessidade de papel-moeda impresso.

Papel-moeda é apenas uma espécie de cheque padronizado e ao portador, ou ainda um vale, como um ticket ou algo do tipo. É um reconhecimento de que você possui dinheiro. E dinheiro, por sua vez, é um crédito junto à sociedade. Se você gera riqueza, pode trocar esta riqueza por um crédito (dinheiro).

Inclusive, no passado, as notas brasileiras deixavam claro que poderiam ser trocadas “por dinheiro”.

500 reis
“se pagará ao portador desta, a quantia de 500 reis”. Moeda brasileira antiga deixava claro que o papel-moeda funcionava apenas como uma espécie de “vale”. Em diversas moedas de vários países do mundo no passado, continham esta frase.

Se papel-moeda fosse dinheiro e dinheiro fosse riqueza, seria fácil. Era só ligar as impressoras da Casa da Moeda que os problemas estavam resolvidos.

Mas não apenas o papel-moeda não é dinheiro, só vale dinheiro, como dinheiro também não é a riqueza, mas apenas uma medida de riqueza.

Então o que é riqueza?

Produção. É pelo PIB (produto interno bruto), por exemplo, que medimos a produção de um país, que é soma de toda a riqueza gerada por ele.

A riqueza vem do trabalho de cada um de nós, do papel do empreendedor que dá inicio ao processo de produção, do plantio no campo, do barbeiro que corta um cabelo, um médico que atende um paciente, um taxista que roda com um turista… etc. Todo produto ou serviço gerado cria riqueza.

E qual o papel do dinheiro nisto tudo?

O dinheiro é apenas um simplificador para a troca entres os produtos e serviços gerados. Ele facilita a troca em relação ao escambo. Ao invés de você se limitar à troca de um bem/serviço apenas entre os bens/serviços que 2 partes possuem, ele amplia esta escala e além disso é atemporal.

Como disse no inicio, dinheiro é um crédito. Significa que há uma dívida da sociedade para você por algo que você gerou a ela. Você recebe dinheiro pela riqueza gerada e oferecida à sociedade. Se é padeiro, recebe dinheiro pelo pão que produz… e por aí vai.

No fim, cada um produz algo útil a todos e é remunerado por isto. Recebe dinheiro capaz de ser trocado por outro bem ou serviço que alguém mais produziu e assim sucessivamente.

O valor do dinheiro é o quanto em termos de bens e serviços se pode trocar por ele. Se R$100 podem ser trocados por menos do que podia há um ano, isto significa que o dinheiro perdeu valor, o que chamamos de inflação.

Dinheiro, que hoje é representado por papel-moeda, cheque, moeda, números na tela de um computador etc, já tomou várias outras formas no passado. O sal já foi uma moeda de troca, assim como o gado, o ouro, a prata e até conchas do mar…

O assunto é extenso e muito interessante. A ideia é desmistificar um pouco o papel do dinheiro na economia. Há quem ache que dinheiro é a solução de todos os problemas, há quem ache que é a origem de todo mal… Há quem ache um absurdo termos que trabalhar tanto e que a vida merece mais descanso, deveríamos ganhar mais e trabalhar menos… (aliás, quem não quer?) Mas, como disse, riqueza é gerada, ela não é estática. Dinheiro é apenas um crédito pela riqueza gerada, e papel-moeda, uma espécie de vale que representa dinheiro.

A todos, um grande abraço.

Mail Box 3

Anúncios