HC0.6

O que é o Tesouro IPCA (antiga NTN-B)?

Apenas recapitulando, Tesouro IPCA + (antigamente chamados de NTN-B) são títulos com rentabilidade vinculada à variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que mede a inflação “oficial” do país), acrescida de juros compactuados no momento da compra. Este título alia uma proteção ao patrimônio além de gerar ganhos de poder aquisitivo. É o tipo de investimento ideal para a aposentadoria.

Caso queira conhecer melhor as características do título, acesse Planeje sua aposentadoria – NTN-B: o melhor investimento

Se quiser saber mais sobre todos os títulos do tesouro, acesse Tudo sobre o Tesouro Direto

Se quiser entender porque considero o Tesouro IPCA o melhor investimento para o longo prazo, continue aqui comigo neste artigo mesmo que darei meus motivos.

Todo momento de crise é também uma janela de oportunidades.

Por que investir no Tesouro IPCA?

1: Contexto global de juros baixos (ou negativos)

A crise econômica brasileira está ainda muito longe do fim. Isto sem mencionar impactos globais de incertezas geradas pelo Brexit, Soft landing chinês (redução moderada do crescimento econômico da China) e as possíveis consequências do excesso de liquidez no mundo.

O fato é que espera-se que o mundo como um todo cresça menos e enfrente um desemprego maior. Em resposta ao baixo crescimento, os Bancos Centrais tem injetado grande liquidez nos mercados, e, como consequência, as taxas de juros da UE, da Suiça e do Japão estão nominalmente negativas. Ou seja, você empresta dinheiro hoje e recebe no futuro menos do que investiu. Títulos alemães de longo prazo foram lançados há pouco com juros negativos! Ninguém acredita que o Fed irá subir as taxas nos EUA tão cedo ao contrário do que era imaginado antes.

2: Juros no Brasil devem cair

Na contramão do mundo, os juros brasileiros estão altos, com a Selic a 14,25%. Graças, principalmente, aos efeitos remanescentes do tarifaço de Levy ocorrido em 2015, à alta do dólar e ao aumento do déficit do governo, os juros subiram de modo a controlar a inflação e trazê-la para o centro da meta.

Ilan Golfajn, ao assumir o Banco Central, garantiu combater seriamente a taxa de inflação, e de modo a ganhar a confiança do mercado, a ideia é de que as taxas de juros se mantenham altas enquanto a inflação não estiver realmente sob controle.

Mas o fato é que a taxa de inflação já vem demonstrando trajetória clara de queda devido aos seguintes fatores:

a) a recessão econômica e o desemprego em alta (Curva de Phillips) freiam o aumento nos preços. Com as famílias sem recursos para consumir, os empresários são forçados a reduzir preços.

b) a alta taxa de juros, que demora um pouco até ter um efeito mais completo. Com juros altos, o crédito disponível se reduz, e, portanto, reduz-se consumo e preços.

c) os efeitos inerciais do tarifaço de 2015 vão perdendo força conforme o tempo vai passando.

d) o dólar está em trajetória de queda. A moeda americana, cotada em 15/7/16 a R$3,26 está bem longe do intervalo entre R$4,00 – R$4,20 em ficou boa parte do tempo neste último ano.  O dólar mais baixo barateia importações criando um efeito positivo nos preços (queda da inflação).

Com isso, o IPCA 12 meses que em janeiro de 2016 chegou a 10,7%, em junho fechou a 8,8%, e vem apresentando uma melhora constante mês a mês, abrindo espaço para a queda nos juros por aqui.

3: Retorno no longo prazo

Com a queda prevista para os juros num futuro até próximo, muitos investimentos ganham como imóveis e ações por exemplo.

Mas na minha opinião, nenhum produto financeiro apresenta hoje os benefícios que o Tesouro IPCA (antiga NTN-B) oferece, em especial, os com vencimento mais longo. Trata-se de um título de volatilidade maior, é verdade. Seu peço de mercado pode variar muito no dia-a-dia, e portanto, não é indicado para o curto prazo.

Mas o devedor é o Tesouro Nacional, sendo, portanto, um dos investimentos mais seguros do país. Além disso, seus juros são acordados no momento da compra do papel. No caso do título mais longo, o Tesouro IPCA + juros semestrais 2050, isto significa que você fecha hoje um acordo de receber juros altos até 2050!!!

Em 21/7/16, os títulos Tesouro IPCA + juros semestrais com vencimento em 15/8/2050 apresentavam um rendimento de 5,8% ao ano além da inflação medida pelo IPCA. É uma baita garantia de retorno para os próximos 34 anos, considerando o baixo risco de crédito do emissor.

Quem investiu no título há um ano já viu o valor do investimento aumentar significativamente. Mas ao meu ver, este é apenas o começo, muita valorização ainda há pela frente!!

De qualquer maneira, embora acredite que o Tesouro IPCA seja o melhor investimento no longo prazo, sinto-me obrigado a ressaltar os benefícios da diversificação. Não é porque é o melhor que devo investir todo o meu dinheiro nele, certo? Além disso, num momento de crise e cheio de incertezas como o atual, lembro a importância de manter uma boa reserva com liquidez para qualquer emergência.

Espero ter sido claro e ajudado.

A todos, um grande abraço!

Mail Box 3

Anúncios