SONY DSC

“Meu avô trabalhava 16 horas por dia, 7 dias por semana e se achava ocupado. Hoje, trabalha-se 8 horas por dia, 5 dias por semana e nos sentimos ocupados” disse Jack Ma fundador do Alibaba em conversa com a CNBC.

Apesar de uma nostalgia quase cultural, o fato é que houve uma melhora significativa sim nas condições de trabalho. Uma melhora que parece nos ser imperceptível.

Além de trabalharmos menos horas por semana, hoje ainda temos direito a férias e feriados para descanso.

Mas o stress relacionado ao trabalho só cresce. Por que?

Uma das principais explicações mora no conceito de custo de oportunidade.

Ir trabalhar pode até ser melhor hoje em dia do que era no passado. Só que o “não-ir-trabalhar” também é melhor, e muito melhor.

O preço que se paga ao ir trabalhar é o de deixar de fazer o que você faria caso não estivesse trabalhando.

Acordar cedo para ir ao trabalho num dia quente se torna mais difícil quando há um quarto geladinho com ar condicionado e várias séries que você gostaria de assistir no Netflix.

É claro que sem o trabalho, você não teria como pagar, o que funciona como uma motivação para levantar. Todos levantam. Mas como não são relações imediatas, isto é, o salário e a conta de luz e do Netflix são pagas apenas uma vez por mês, o que é imediato é apenas a frustração.

E as opções de lazer hoje são muitas: viagens, shows, jogos, restaurantes etc.

Então, apesar de estarmos muito mais estressados hoje em dia no trabalho, a raiz deste problema pode estar ironicamente no alto nível de prazer e de bem estar que significa hoje em dia estar fora do trabalho. 

É claro que existem outros motivos… alguns bem mais específicos de algumas profissões, mas que serão assunto de artigos futuros.

Abraço a todos!

Clique aqui e cadastre-se para receber os e-mails do Henriquecer.com. Te enviarei apenas um e-mail por semana para te manter atualizado sobre os temas Economia e Finanças Pessoais.

 

Anúncios