lula-preso

Parece estória antiga, mas não é…

A prisão do Lula faz só uma semana.

Em todos os meios de comunicação, redes sociais só se falou nisso.

Os contrários ao ex-presidente comemoraram como se o Brasil tivesse ganho a Copa.

Mas é dos simpatizantes e de lulistas fanáticos que eu vou falar aqui.

Estes que diziam ser injusta a prisão.

Segundo eles, a justiça, se incompleta, é mais injusta que nenhuma justiça.

É um ponto de vista.

Não o meu.

Não acho que a incapacidade de prendermos todos os assassinos do mundo torne injusta a prisão dos que conseguimos prender, por exemplo.

Ou deveríamos soltar todos os outros?

É verdade que há mtos corruptos soltos, escondidos atrás dessa vergonha que acabou se tornando o foro privilegiado.

Mas é bom lembrar que Lula não é o único preso nessa história toda.

A lista é extensa.

Lembro muito bem dos que juravam de pé junto que tudo não passava de uma grande armação para salvar o Eduardo Cunha.

Faz tão pouco tempo isso…

Para a esquerda, a lógica se dobra para caber no discurso.

Nunca o contrário.

A força do populista vem daí, ele fala a corações apaixonados.

A razão mostra outra coisas?

Dane-se a razão.

O que vale são símbolos de guerra, bandeira vermelha, poesias, música, arte…

Se um deles consegue encontrar um sopro de lógica em seu discurso, você certamente vai encontrar reações como “eu te amo!” e “obrigado”.

Alô razão? Pra que?

O esquerdista é aquele cara que quando criança queria sempre brincar com o brinquedo que estava na mão do amiguinho só para que uma mãe o tirasse dos dois:

“se for só para um ter e dar confusão, melhor ninguém ter.”

Só que aquela criança nunca cresceu.

Toda sua ideologia de vida gira em torno dessa maneira de ver o mundo.

É claro que a prisão de Lula, ao seu ver, é injusta.

E o Aécio? E o Temer? Cadê o PSDB?

Ou vai todo mundo preso junto ou ninguém.

Lula pode até ser culpado, mas para sua prisão ser justa tem que ser a última da face da Terra.

Difícil.

A prisão de Lula não acaba com a corrupção no país.

Sem dúvidas.

Inclusive, a maior parte do combate à corrupção começa por nós mesmos.

Prender só um homem não transforma um país.

Nós precisamos mudar.

Nada pode ser ignorado: furar fila, falsificar carteirinha de estudante, dar dinheiro pro guarda, não declarar toda a receita da empresa ou consultório, MS Office pirata… tudo!

Sem justificativas…

Cada um de nós temos nossas “dona marisas” em potencial, cabe a nós usá-las ou não…

A mudança começa por nós.

Não há pequena corrupção.

Existem atos corruptos e pronto.

Concorda, né?

Também não existe essa de só “um triplexzinho”.

O que assusta a esquerda é a repercussão da prisão do Lula.

Se fosse o Aécio, haveria essa mobilização toda? Não.
Se fosse o Temer? Não.
Para nenhum outro…

Eu, particularmente, até não consigo me alegrar com essas coisas.

Mas entendo os que comemoram.

Num país onde um dos maiores problemas é a impunidade dos poderosos… ver o homem mais poderoso de nossa história recente pagar por seus erros como todos os outros meros mortais é um sopro de esperança.

Representatividade.

Para os que há menos de um mês davam aulas sobre representatividade no Facebook para explicar a repercussão da morte de Marielle, parece cedo para esquecer o significado disso.

É possível chorar uma morte mais que outras… ainda que reconheçamos que nenhuma vida valha mais do que outra.

Também é possível exigir uma condenação mais que outras… ainda que queiramos ver todos os culpados punidos.
Até a próxima!

Publicidade 2a edição

Anúncios