1 PAGINA

Trecho do livro “E se você não morrer amanhã?”:

É muito difícil começar a escrever do zero.

Uma página em branco tem o poder de intimidar a gente. É incrível.

Compartilho isto conforme, finalmente, vou escrevendo porque é um belo exemplo do que acontece com muitas coisas na vida.

Com a organização financeira não é diferente.

Muitas vezes, o mais difícil é apenas começar.

É preciso dar o primeiro passo antes de conseguir enxergar todo o caminho.

Eu falo isso para já encorajar os leitores que estão às voltas com suas finanças.

Neste livro eu vou mostrar todo o caminho a ser trilhado. É um caminho cheio de oportunidades, mas que é longo. E quem está enrolado, pode acabar se desesperando ao parar para pensar em tudo isso de uma só vez.

Na boa, se esse for o seu caso, não se desespere.

Acalme-se, respire. Apenas dê o primeiro passo.

E vem comigo!

Eu mesmo nunca fui muito planejado.

Quando novo, eu costumava marcar diversos compromissos ao mesmo tempo, chegava atrasado em todos e deixava para confirmar presença sempre em cima da hora.

Eu tinha uma espécie de “planejamentofobia”. Preferia não saber, não marcar, deixar a vida me levar…

Eu sentia que uma vez que marcasse qualquer coisa, mesmo que fosse um chopp com os amigos, ele deixaria de ser uma diversão e passaria a ser um compromisso!

Esse era eu.

Hoje, tenho um blog sobre Planejamento Financeiro Pessoal, trabalho com Planejamento Financeiro Empresarial e nos meus textos falo da importância de se planejar.

Mudei, evolui e transformei totalmente a desorganização que sempre foi minha vida com algo que hoje não sei se conseguiria viver sem: planejamento.

Uma vez que o conheci, vi o quão recompensador era.

É do perfil da pessoa sim, mas é possível trabalhar e mudar.

Se você não mudar, não evolui e vai passar a vida inteira sendo a mesma pessoa, sem nada aprender, sem nada mudar!

Tipo a Gabriela da música que “nasceu assim, que cresceu assim…” e ficou assim pelo resto da vida dela.

Pobre Gabriela.

A mudança é um exercício contínuo. Primeiro você deve decidir mudar.

O futurólogo australiano Peter Ellyard diz que “nós não podemos criar um futuro que inicialmente não imaginamos”.

Toda mudança requer um planejamento, uma preparação.

Em seguida, o mais importante: atitude.

Não é o que a gente é por dentro que nos define, mas sim o que a gente faz! Grande Rachel Dawes. Nós somos um reflexo direto das nossas atitudes.

Minha história com o planejamento começa assim, com mudanças profundas ao longo do tempo. Um passo de cada vez, mas sempre em frente.

Um pouco como Bruce Wayne, traumatizado por cair num poço com morcegos, e que acabou tornando o morcego no símbolo do seu poder.

Quando a gente identifica uma característica nossa como fraqueza, a gente se esforça para mudá-la. No caminho, ela pode acabar se tornando nossa força.

Para os que não tem ainda todo o controle sobre a vida financeira, não se preocupem. Se esse for o seu caso, cole em mim, que aqui eu vou te guiar por todo o caminho que você precisa trilhar.

Depois, é contigo!

Faça desse livro a primeira página na história da sua vida financeira.

Os mais experts no assunto, também não vão se arrepender. Há sempre o que evoluir quando o assunto é Finanças Pessoais.

A verdade é que o assunto vem evoluindo recentemente e nas escolas brasileiras não há o devido foco em Educação Financeira.

Bem longe disso.

A maior parte da população começa a tratar o dinheiro na vida adulta sem nenhuma orientação prévia de como se planejar para uma vida financeira saudável.

No fim, se enrola.

Imagina, absolutamente todas estas crianças que hoje estão numa sala de aula, um dia vão precisar lidar com dinheiro na vida.

E eles estão aprendendo literatura, espanhol, como calcular pi… nada contra.

Mas vão sair completamente despreparados para lidar com as finanças na vida adulta.

Ninguém os ensinou a abrir uma conta em banco, realizar um depósito, mal vão saber como calcular juros compostos, a pensar na aposentadoria. Nada disso.

Educação Financeira deveria ser matéria básica em todas as escolas do mundo.

É preciso também um mínimo de conhecimento em economia para que qualquer um seja capaz de refletir sobre o seu lugar nesse mundo, de entender como ele funciona.

Este livro não é para crianças (também não é censurado. Fiquem à vontade: nada de drogas, nem sexo explícito). Ele é para adultos que assim como eu, não tiveram a oportunidade de aprender finanças na escola.

Ele é dividido em duas grandes partes. Na primeira, estão oito capítulos em que falo sobre Mindset. Aqui, eu enumerei os principais motivos que explicam o porquê de muitos brasileiros não tratarem bem o seu dinheiro e dediquei ao menos um capítulo a cada:

  • Tabus culturais
  • Não entender seu papel no mundo econômico
  • Postura passiva em relação à vida
  • Irracionalidade Financeira
  • Aquela estória de que dinheiro não traz felicidade
  • Usar a desculpa “e se eu morrer amanhã?” como estilo de vida
  • Não planejar seu futuro
  • Não controlar sua vida financeira

Na segunda parte, vou apresentar as ferramentas que você precisa para ajustar sua vida financeira.

Modéstia à parte, é o livro mais completo sobre finanças pessoais que já vi por aí. Ele parte desde aspectos culturais e comportamentais a produtos financeiros… com direito até a uma Planilha Financeira completa para a gestão das suas finanças no dia a dia.

O conhecimento é o único caminho possível para a construção de uma vida financeira saudável.

Ninguém sabe tanto ao ponto de que não haja nada mais que não possa aprender.

E ninguém sabe tão pouco que não tenha nada a ensinar.

Todo mundo tem algo a contribuir neste mundo.

O meu “algo” está aqui.

Estou aqui para compartilhar ao máximo tudo o que aprendi.

——–

Continue lendo:

Livro físico:

https://www.chiadobooks.com/livraria/e-se-voce-nao-morrer-amanha-tudo-sobre-financas-pessoais

Versão Kindle:

https://www.amazon.com.br/gp/product/B07C45NQHT/ref=as_li_tl?ie=UTF8&tag=henriquecer-20&camp=1789&creative=9325&linkCode=as2&creativeASIN=B07C45NQHT&linkId=5174d83765c365c3530502d11139af84

 

Anúncios