SAC PRICE

Pergunta do leitor: Em quase todos os blogs que comparam SAC e Price sempre se considera o mesmo número de prestações. Eu gostaria de uma opinião considerando períodos diferentes. Por exemplo, caso alguém tenha estabilidade no trabalho e deseje fazer no menor número possível de prestações, ele consegue diminuir o prazo do pagamento utilizando o sistema Price, cujas prestações iniciais são menores e desta forma irá pagar um montante menor de juros no final do investimento. Gostaria que comentasse essa estratégia!
Obrigado! (Flávio Silvan)

Resposta, Riko: Em geral, se considera o mesmo prazo e a mesma taxa de juros para que as condições sejam sempre as mesmas, comparando banana com banana.

Mas vamos ao exercício proposto pelo Flávio. Se considerarmos uma tabela Price, ou seja, com prestações fixas, todas no mesmo valor da primeira prestação da tabela SAC, e portanto, a mais alta. Em quanto tempo eu quitaria toda a minha dívida?

A uma taxa de juros a 10% ao ano e um período total de 20 anos no financiamento SAC, seria equivalente a aproximadamente 11 anos da tabela Price (considerando a mesma taxa de juros para os dois tipos). Ou seja, você pagaria o seu financiamento todo em quase metade do tempo.

Se ao invés de 10%, a taxa fosse de 8%, daria 12 anos de financiamento Price (x 20 anos SAC). Com uma taxa de 12%, o período cai para 10 anos, exatamente a metade do tempo.

Ou seja, realmente, ao optar pela tabela Price, a amortização se acelera e o montante total de juros pagos diminui.

Isto significa que a tabela Price é melhor que SAC, então?

Este argumento do prazo menor na tabela Price tem uma limitação. Em qualquer financiamento, seja ele SAC ou Price, há sempre a possibilidade de aportar um montante extra e amortizar a dívida seja reduzindo o valor das parcelas ou o prazo de pagamento.

Isto significa que alguém que opte pela tabela SAC pode guardar a diferença entre a parcela mais alta e a atual para reduzir também o prazo de pagamento – transformando virtualmente um financiamento SAC em uma espécie de Price – se assim desejar.

Relembrando que na tabela SAC as prestações são decrescentes a cada mês enquanto na Price, elas são fixas.

O que quero dizer é que, num financiamento SAC, se no primeiro mês sua prestação é de R$1.500 e no segundo é de R$1.490, você pode sempre juntar essa diferença para lá na frente amortizar a sua dívida reduzindo por exemplo o total de parcelas.

Me parece uma comparação mais justa do que a proposta pelo Flávio. Neste caso, então, eu prefiro o SAC porque te dá maior flexibilidade. Ou seja, se quiser reduzir o número de parcelas, você pode. Se não quiser, viverá com as parcelas decrescentes.

Isso é particularmente interessante num cenário de mudanças macroeconômicas. Como digo sempre, se a taxa de juros que você pode receber de uma aplicação for maior que o custo da sua dívida, não vale a pena usar este investimento para quitar sua dívida.

Hoje, é difícil imaginar isso, mas essas mudanças no futuro podem acontecer. Tanto as macroeconômicas quanto na sua condição financeira pessoal. Se amanhã ou depois perder seu emprego, irá preferir ter que lidar com prestações menores da tabela SAC do que as maiores da Price.

Flexibilidade é essencial.

Espero ter sido claro. Em caso de dúvidas, deixe aqui seu comentário!

Abraços!

Riko

Anúncios