Desejo que 2021 ofereça menos dedos apontados, maior maturidade para o convívio com ideias divergentes, menos sinalização de virtudes e desvirtudes, melhor capacidade de compreensão e, sobretudo…

mais humildade para entender que o fato de não concordarem com você não significa necessariamente ignorância, pode ser uma opção ou oportunidade. E que o fato de ter coisas que você entenda e saiba e o outro não, não se contrapõe à ideia de que possa haver coisas que eles saibam e que você ignore.

Eu desejo que o radicalismo ideológico suma de uma vez por todas. Qualquer um, para que possamos debater ideias de uma forma madura.

Nem Mises, nem Marx. Entenda, não existe fórmula mágica.

Comparar Cuba com os EUA não define o sucesso do Capitalismo. O Haiti tbm é capitalista, amigo.

Tudo é relativo.

Discutir sobre política é saudável. Discutir por causa de política é perda de tempo (e energia).

Tenha na cabeça,

  1. O que acontece com pessoas, acontece com empresas, acontece com países. A verdade é a mesma em qualquer nível. Uma empresa é um conjunto de pessoas (investidores e trabalhadores), um país é um conjunto de pessoas e empresas (ou seja, de pessoas e pessoas).
  2. Não há uma receita infalível para o sucesso. Michael Jordan ficou rico jogando basquete, Woody Allen dirigindo filmes e Bill Gates gerenciando empresas. Imagina se Allen e Gates acreditassem que a unica maneira de enriquecer fosse jogando basquete? A Louis Vuitton vende luxo, o Wall Mart vende barato: sucesso é ser bom no que se propõe a ser.

Durante diferentes momentos da minha vida, tive a oportunidade de morar nos EUA. Lá, fiz parte dos meus estudos na escola e consegui meus primeiros empregos, morei em 3 Estados diferentes do Sudeste, Nordeste ao Centro-Oeste. Amo os EUA porque aprendi muito por lá e inclusive minha tese no final da faculdade de Relações Internacionais foi sobre a história da Política Externa Americana. 

A visão que tenho dos EUA talvez um pouco diferente de uma parte dos brasileiros que, aos meus olhos, parecem resumir os EUA a uma espécie de “Republica do Alabama”, um antro de conservadorismo e materialismo egoísta, um estereótipo (como todo estereótipo) indigno da riqueza da história do país.

Para mim, os EUA são sobretudo a Terra da Liberdade e da Oportunidade. Foi assim que o país foi construído, que atraiu diversos imigrantes esperançosos em construir uma nova vida – e que se sentiam bem vindos durante a maior parte da vida. Um país construido por imigrantes!

Não reconheço nos EUA um pais xenofóbico. Reconheço pessoas xenofóbicas que vivem por lá. Nos EUA, existe sim preconceito com relação à cor por parte das pessoas.

Mas como país, os EUA são aquele país que lutou numa Guerra Civil durante anos para que a escravidão fosse abolida em todo o território.

O Alabama é bem diferente disso. 

Como o sucesso é ser o que se propõe a ser, vamos a alguns números:

  • O PIB dos EUA é de 19 trilhões de dolares, o maior do mundo.
  • Se ajustar para o tamanho da população, o que é mais realista para medir a riqueza de um país, o PIB per capita é o 13° maior do mundo. Acima dos EUA, apenas paises produtores de petróleo ou países pequenos como Luxemburgo, Cingapura ou Suiça. Nenhuma grande potência econômica tem um PIB per capita tão alto.
  • No ranking de produtividade, ou seja, riqueza gerada por hora trabalhada, os EUA aparecem em 5° lugar. A frente dos EUA apenas países bem menores.
  • Em facilidade de fazer negócios, os EUA aparecem em 7° lugar, atrás de Cingapura, Suíça, Canada, Hong Kong, Austrália e Suécia.

Atualmente no entanto, moro na França e aqui encontro também muitos dos valores americanos, principalmente relacionados à liberdade. Para quem não lembra, foram os iluministas franceses que inspiraram a Revolução Americana 1776, que lutaram ao lado dos americanos pela independência dos Ingleses, e o que americanos – como B. Obama – se referem com frequência aos franceses como “nossos maiores aliados”

Estátua da Liberdade - quatro maneiras de apreciar o monumento icônico em  Nova York – Blog da Laura Peruchi – Tudo sobre Nova York

A Estatua da Liberdade em NYC (em inglêsLiberty Enlightening the World; em francêsLa liberté éclairant le monde) foi um presente da França aos EUA. Em Paris, existem 9 estátuas da Liberdade distribuídas pelos diversos cantos da cidade.

A amizade e admiração recíproca levaram Napoleão a sonhar com uma Europa unificada no inicio do século 19. A ideia era criar uma versão europeia da Federação criada por diferentes Estados autônomos no outro lado do Atlântico. Seu sonho era criar os Estados Unidos da Europa, uma região democrática, de unidade, liberdade, união econômica e paz.

Só que assim como os EUA, a França não é apenas um país, é um ideal, uma razão de existir. A Liberdade se mantém, mas dessa vez ao lado da Igualdade e da Fraternidade. Em qualquer prédio público, qualquer escola, prefeitura, prédio administrativo, entre outros, você sempre vai encontrar escrito essas 3 palavras.

Liberté, égalité, fraternité : les trois fondamentaux républicains tirés de  la Bible | Actu Lot

Igualdade e Fraternidade! Os valores sociais ganham um espaço maior neste contexto. Sucesso na França é ter sucesso enquanto sociedade e não apenas como um indivíduo – e essa preocupação a mais com o lado social é o cerne do que é a França. Como resultado,

  • A expectativa de vida na França é de 83 anos vs. 79 nos EUA
  • A taxa de homicídios (a cada 1000 habitantes) é de 1.3 vs. 5.3 nos EUA
  • No ranking de mobilidade social, a França esta em 12°, enquanto os EUA em 27°
  • No Ranking de Desigualdade Social, a França aparece em 121° mais desigual (apenas 34 países são melhores) enquanto os EUA são classificados como o 51° mais desigual.

Os EUA tem maior facilidade de fazer negócios, desemprego menor e maior renda per capita. 

Vale dizer que desde os anos 90, pos Consenso de Washington, a economia tem crescido a um ritmo mais elevado nos EUA. Durante os pós-guerra, entre os anos 1940 e 1980, foi a economia francesa que crescia mais e com um desemprego muito menor.

Podemos supôr que a economia francesa se dê melhor em ambientes de maior dirigismo, enquanto os EUA em periodos mais liberais?

Talvez. 

Mas o que é certo é que não há uma única fórmula de sucesso. E mesmo que houvesse, isso não significaria que ela poderia ser aplicada em qualquer povo, em qualquer lugar.

Lembre-se, tanto os EUA quanto a França são capitalistas. Mas o Haiti também é.

O que é sucesso? Eh alcançar o que se propôs a alcançar – através dos meios que temos a nossa disposição.

Cada um a ser medido pelas réguas que escolheu se medir…

Que em 2021, o Brasil descubra por qual régua deseja ser medido.

E que nossas escolhas incluam todos os brasileiros.  

A todos, um grande abraço!

Riko Assumpcao

Fontes:

https://countryeconomy.com/countries/compare/france/usa

https://en.wikipedia.org/wiki/Global_Social_Mobility_Index

https://www.indexmundi.com/facts/indicators/SI.POV.GINI/rankings

As 9 cópias da Estátua da Liberdade em Paris e um Bônus

_____

Henriquecer: Podcast do Riko Assumpção 

ANCHOR

APPLE PODCAST

GOOGLE PODCAST

SPOTIFY

Conheça meus livros: https://henriquecer.com/livros-do-riko-assumpcao/

Saiba mais sobre mim: https://henriquecer.com/about/

Acesse a Planilha de Planejamento Financeiro aqui: https://henriquecer.com/planilha-financeira-no-excel/

Henriquecer.com