Sem enrolação, vamos direto ao ponto:

Como funciona a tabela SAC?

SAC é o curto de Sistema de Amortização Constante.

A palavra “constante” pode ser uma pegadinha para quem não é familiar à matemática financeira porque na verdadeas parcelas da tabela SAC são decrescentes. Isto porque, você pode até não saber mas qualquer parcela de qualquer empréstimo com juros que se faça, é sempre constituída de duas partes 1) Amortização (que reduz a divida) e 2) juros (não reduz a divida).

Ou seja, a amortização é o quanto da dívida total você abate com cada parcela e os juros é a remuneração que você paga a quem lhe emprestou o dinheiro. Ou seja, para fixar: juros não abate dívida.

Apenas para ilustrar, imagine que você pegou um empréstimo de R$ 100 mil para ser pago em 100 meses pela tabela SAC a um juros de 1% a.m.

Como na tabela SAC a amortização é constante, todo mês você vai pagar e abater da dívida uma parcela igual deste total de R$ 100 mil. Logo, a cada mês você amortizará R$ 1.000. Mas se sua parcela final fosse só isso, este financiamento não teria juros, certo? Como tem juros de 1% ao mês, no primeiro mês os juros serão de R$ 1 mil (1% de R$ 100.000).

Então, esta primeira parcela será de R$ 2.000, dos quais R$ 1.000 referentes à amortização e R$ 1.000 referente aos juros. Bingo!

No mês seguinte, a amortização também será de R$ 1.000 (lembra, ela é constante) mas os juros serão menores porque o 1% incidirá não mais sobre os R$ 100.000 mas agora sobre R$ 99.000 da divida que sobrou já que você ja “amortizou” R$ 1.000 na primeira parcela. O termo amortizar é isso: pagar a divida principal.

A segunda parcela será de R$ 1.990 (R$ 1.000 de amortização e R$ 990 de juros).

Então, como a sua divida vai se reduzindo todo mês, o montante de juros reduz também, e claro, o que faz o valor da sua parcela mensal cair.

Segue o exemplo na tabela abaixo:

HC0.0

Como funciona a Tabela Price?

Ao contrário da tabela SAC, cujas parcelas são variáveis (decrescentes), na tabela Price, as parcelas são fixas. Ou seja, do início ao fim do período de empréstimo você irá pagar o mesmo valor. É o tipo de financiamento mais comum na compra de carros, por exemplo.

As parcelas também são compostas por amortização e juros como em qualquer empréstimo, mas a conta não é tão fácil de fazer na mão quanto a tabela SAC. Por este motivo, ao se trabalhar com o sistema Price, os profissionais costumam portar sempre uma HP 12C que faz a conta para você apertando poucos botões:

Entre com o valor do empréstimo (R$ 100 mil do exemplo acima) e depois aperte PV

Entre como os juros (1%) e aperte i

Entre o número de parcelas (100) e aperte n

Para saber o valor das parcelas mensais, aperte PMT e o valor da prestação aparecerá na sua tela.

Além da HP 12C, você pode fazer a conta no MS Excel através da função PGTO.

Basta digitar em uma célula =PGTO(a taxa de juros; número total de parcelas; o valor da dívida com um sinal negativo; (deixe vazio); (deixe vazio)) exatamente como na figura abaixo em que utilizo os valores do nosso exemplo.

HC0.01

Neste exemplo da dívida de R$ 100.000 paga em 100 vezes ao juros mensal de 1%, o valor das parcelas será de R$ 1.586,57 pela tabela Price.

E agora, qual é melhor?

Em termos financeiros: a melhor é a que tiver os juros percentuais mais baixos. O resto so muda o timing em que você vai quitar sua dívida.

Mesmo quando o percentual de juros é o mesmo, o montante total de juros pagos na tabela SAC é menor que o da Price. Isso faz muita gente preferir a SAC à Price. Mas isso depende muito de quanto tempo você deseja carregar a dívida.

Pode parecer estranho falar em carregar dívida, mas algumas dívidas podem ser boas no longo prazo.

Como uma dívida pode ser boa?

Se a taxa de juros da sua dívida for menor que a taxa de remuneração do seu investimento, pode valer a pena manter a sua dívida e seu dinheiro investido.

Um exemplo:

Digamos que você tenha R$ 100 mil aplicado em Tesouro Selic com remuneração de 10% ao ano.

Por outro lado, você tem um financiamento imobiliário de R$ 100 mil com taxa de juros de 8% ao ano.

Alguém pode imaginar que o ideal seja usar os R$100 mil para pagar a divida imobiliaria.

Mas veja, com a taxa de 10% ao ano, seu investimento te rende R$ 10 mil ao ano. Já de juros da sua dívida, você paga R$ 8 mil ao ano. Ou seja, você pode pagar os juros da sua dívida e investir os 2 mil restantes. Dívida boa!

Agora, se a sua taxa de juros imobiliário for menor que a taxa de mercado, a Price é mais adequada.

Se você quiser se livrar da sua dívida o quanto antes, use a SAC.

Espero ter sido claro. Mas caso haja perguntas, deixe um comentário aqui que terei prazer em responder.

A todos, um grande abraço!

Riko Assumpcao

_____

Henriquecer: Podcast do Riko Assumpção 

ANCHOR
APPLE PODCAST
GOOGLE PODCAST
SPOTIFY

Conheça meus livros: https://henriquecer.com/livros-do-riko-assumpcao/

Saiba mais sobre mim: https://henriquecer.com/about/

Acesse a Planilha de Planejamento Financeiro aqui: https://henriquecer.com/planilha-financeira-no-excel/

Henriquecer.com