Notre vision | GlobalRH - Conseil, Recrutement, Evénementiel

Eu conheço um homem que ocupou durante um certo tempo um cargo executivo – de muita influência – no ramo hospitalar. Era para ser o ponto alto, e por mais que a gente possa errar de alguma maneira nas nossas interpretações – eu acredito que impressões são incontestaveis – pode-se questionar a veracidade do fato, mas a veracidade da impressão não.

E para o que se pode julgar por fora eu diria que esse homem era qualquer coisas mas nunca um homem de sucesso, ao menos não no seu emprego. Ele tinha dinheiro, tinha poder, mas algo lhe faltava. Faltava entender o sentido do que ele fazia das 9h as 18h de segunda a sexta.

Sem entender isso – tudo aquilo que, vamos la, tinha um potencial enorme para ser uma causa das mais dignas – afinal poucas coisas na vida podem ser tão gratificantes quanto fazer parte de uma organização cujo objetivo principal seja salvar vidas – tudo isso foi por agua abaixo porque faltava a visão. Ele não era capaz de entender seu papel como executivo naquela engrenagem. Ele não tinha uma visão e foi corrompido pela visão de poder e dinheiro que o seu cargo podia lhe trazer.

Alguns anos mais tarde, esse mesmo cara, acordava as 4:30h da manhã no inverno rigoroso para dar faxina numa loja de roupas. E, em todos os sentidos que possam ser imaginados, a experiência foi um sucesso. E todos que trabalhavam com ele ou que ao menos enxergavam o amor com o que ele fazia o que fazia o admiravam como profissional. Sucesso!

O que eu entendo por esta historia é que não é o que vc faz, mas como vc faz que importa. Essa é a verdadeira medida de sucesso.

Eh muito vazio admirar alguém simplesmente por um certo status vazio. Ninguém gosta de ouvir esses caras na rua que batem no peito para dizer que devem ser respeitados porque são juizes.

Nos preferimos estorias magicas de amor pela visão, por pessoas como Jeff Bezos, Steve Jobs, Bill Gates, Elon Musk… porque eles amam o que fazem.

E esse é um exercicio que todos nos deveriamos fazer no nosso dia a dia. Amar o que a gente faz, mas eu entendo que seja dificil por algumas razões: 1) A primeira é que é dificil amar seja la o que for sem entender direito o porquê a gente faz o que a gente faz.

Sem uma visão e um objetivo maior no seu trabalho, dificilmente pode haver amor ao que se faz.

O Marcos Piangers, que é youtuber, autor de livros sobre como criar crianças, colocou muito bem essa questão.

Um leitor perguntou para ele o que dizer para os filhos quando o pai esta saindo para trabalhar. Porque a maior parte dos pais encontram um enorme problema em dizer isso para um filho, eles sentem que o estão abandonando. E a resposta mais comum para esse momento é dizer que é preciso trabalhar para pagar as contas, porque o filho precisa se alimentar.

A resposta do Marcos Piangers foi de que “Você pode explicar que está indo realizar alguma coisa para as pessoas, que está contribuindo para a sociedade. Que a vida é crescer, achar um propósito e fazer algo que tenha impacto e transformação do mundo.

Então quando saio eu preciso trabalhar eu digo para Victoria, minha pequena, que o papai precisa trabalhar para que os trens circulem. Porque se os trens não circularem, as pessoas não vão conseguir chegar tão rapido no trabalho delas, e algumas dessas pessoas são médicas, bombeiros… os professores não vão conseguir chegar na escola e ensinar as crianças, as pessoas não vão conseguir encontrar os parentes deles e não vão conseguir matar as saudades.

Eu não limito meu trabalho a Finanças. Eu faço parte de um projeto que visa reduzir distâncias, aumentar as possibilidades da vida, sejam elas profissionais, familiares ou de turismo, tudo isso de forma mais eficaz, mais rapida e ecologica. Eh o que fazem os trens, TGVs, metrôs, VLTs…

Eh bom para a criança entender que o papai cuida dela e ama ela, mas que ha uma hora em que é importante entender que o papai precisa também cuidar de outras pessoas, as pessoas a nossa volta. Todos nohs temos um papel a desempenhar na sociedade cuidando uns dos outros. E se você faz o que faz com amor, fica mais facil a criança entender porque você sai de casa toda manhã para trabalhar.

Sem isso, o trabalho se torna uma penitência se 2a a 6a, e ai a pergunta que vem é: vc trabalha para viver ou vive para trabalhar? E é o tipo de pergunta que ja tem implicita a resposta. Esta errado. Eu vivo e trabalho, e não deixo de viver enquanto estou trabalhando. Quando você faz o que faz com amor, seja la o quer for, o trabalho se torna uma parte importante da sua vida, com conquitas.

Muita gente acha que isso soh é capaz quando você monta o seu proprio negocio. Eu não concordo. Eu até acredito que seja realmente bem mais facil amar o que faz quando você é o dono porque é mais facil entender o seu proposito, os beneficios do seu negocio e o seu papel naquilo tudo ali. Mas de novo, quando a gente fala se empresarios, pensa logo num Richard Branson da vida, mas cara olha em volta, o jornaleiro da esquina, a padaria ali do lado, o restaurante que vende o PF, a lojinha de miçangas, são todos empresarios. Além disso, mais da metade das empresas abertas no Brasil, fecham em menos de 5 anos.

Independente de você ser um empresario ou funcionario de uma empresa, eu realmente acredito que o conta não é o que você faz mas como você faz o que faz.

Tem empresarios que são empregados das suas proprias empresas. Tem empregados que agem como verdadeiros donos da empresa de onde trabalham.

Eh sobre atitude, visão.

E não é sobre largar tudo e ir fazer o que ama. Até porque a maior parte das pessoas têm até dificuldade em descobrir o que ama fazer. Eh porque não é isso. Eh fazer tudo o que você fizer na vida com amor.

Se você é motorista de Uber, você tem que entender a força que isso tem! Você faz parte de uma organização que esta revolucionando o mercado de trabalho. Isso não acontece todos os dias. E o que a gente chama de Uberização é um fenomeno que inspira diversas outras start-ups no mundo afora. Eh possibilitar que cada um de nos possa ofertar um serviço para cada cliente que precisa desse serviço.

O Uber da emprego a quem precisa, e o serviço é util e mais barato do que antes a ponto de algumas pessoas nem precisarem mais ter carros. Eh assim que se ama o que faz.

O Seth Godin colocou toda essa estoria de amor da seguinte forma “Fazer o que se ama é para amadores. Amar o que se faz é professional.” E eu acho sensacional porque é uma frase que consegue dizer muito mesmo se ela é apenas literal porque afinal de contas a propria palavra “amador” esta relacionada a quem ama.

Então, esse primeiro ponto é sobre visão. Sobre entender sua utilidade para a sociedade. Sobre colocar na frente dos seus interesses individuais, algo maior, interesses coletivos. Eh sobre quando você estiver no trabalho, entender e incorporar o seu proposito ali. Você não pode estar ali apenas para pagar suas contas. Não apenas, e não em primeiro lugar.

2) Um segundo ponto que pode dificultar o amor no que a gente faz é no como a gente faz. E esse é igualmente dificil porque se você não trabalha num ambiente bom, se não tem uma relação saudavel com seu chefe, com seus colegas de trabalho ou pior, a empresa age de uma forma que cria um conflito com os seus valores… bem ai você tem um problema.

Mas eu acho que muito disso passa pela questão da expansão do nosso raio de atuação na vida, que eu falo tanto por aqui. Não se contente em ser mera vitima das cirtunstâncias da vida. Seja um ator ativo e pergunte-se sempre como você pode solucionar os problemas, ou como mudar a situação! Busque ser você a energia positiva que impulsiona os demais. Esse tipo de coisa não tem hierarquia. Se o primeiro ponto, que é amar o que você faz, estiver bem enraizado dentro de você, é provavel que sua motivação e energia inspire os que estão a sua volta. No fundo, todo mundo quer fazer parte de uma boa equipe, é preciso despertar esse sentimento nos membros da equipe – tudo começa com a expansão dessa energia positiva que gera o que a gente chama de “momentum”.

Foque em você, foque no que você pode fazer para mudar o ambiente.

Quando você tem conciência do seu papel, você muda a forma de ver as coisas, você deixa de achar que você trabalha para o seu chefe e começa a entender que você e seu chefe fazem parte de uma mesma equipe que trabalha para um proposito maior.

E eu queria terminar com uma citação do Peter Drucker, citado na verdade pelo Jim Collins num encontro entre os dois. Quando Jim perguntou o que ele deveria fazer para atingir o sucesso, Drucker respondeu:

“Você passa muito tempo pensando se você vai ter sucesso. Essa é a pergunta errada. A pergunta é: o que eu devo fazer para ser util?”

A todos, um grande abraço

Riko Assumpção

_____

Henriquecer: Podcast do Riko Assumpção 

ANCHOR
APPLE PODCAST
GOOGLE PODCAST
SPOTIFY

Conheça meus livros: https://henriquecer.com/livros-do-riko-assumpcao/

Saiba mais sobre mim: https://henriquecer.com/about/

Acesse a Planilha de Planejamento Financeiro aqui: https://henriquecer.com/planilha-financeira-no-excel/

Henriquecer.com