Henriquecer9999994

Inflação é comumente entendida como a alta generalizada dos preços de bens e serviços. Mas talvez a melhor definição seja a queda do poder de compra do dinheiro. Ou ainda a queda do valor de mercado do dinheiro.

A inflação é causada por diversos fatores como i) Déficit Fiscal no país; ii) excesso de demanda; iii) falta de capacidade ociosa na indústria; iv) altos custos de produção; v) seca ou excesso de chuvas; vi) indexação da economia (reposição de perdas inflacionárias) e mais… muitoo mais.

Entre os anos 70 e o início dos 90, o Brasil viveu um longo período de inflação alta, assim outros países latino americanos. Mesmo os EUA nessa época, vivenciaram uma grande perda no valor do dólar. No Brasil, a inflação chegou a mais de 2.000% em 1993. Na Argentina, conseguiu ser ainda pior.

A primeira inflação de que se tem notícia, ao menos das mais famosas, foi em Roma. O ás que era a moeda da época, de tanto que foi produzida acabou perdendo a confiança da população, que passou a preferir outras “moedas” como ouro, sal, prata… qualquer coisa que mantivesse o valor por mais tempo do que o ás.

Não tardou, o ás foi substituído por uma nova moeda: o denário, que valia dez asses (daí é que vem o nome dinheiro). É como se tivessem cortado um zero na moeda, do mesmo jeito que cortaram 3 zeros aqui no Brasil algumas vezes.

Mas o denário (ou dinheiro) teve vida não tão longa. Como o Estado não preservou seu valor (antes era produzido com ouro quase puro mas depois passaram a ser produzidos com mais impurezas), achando que bastava criar moeda para tornar o povo rico, a moeda sobreviveu apenas durante o período em que o Império se expandia (afinal, a base monetária de certa forma acompanhava o crescimento do império).

Mais cedo ou mais tarde, o dragão inflacionário desperta e só para se ter uma ideia, entre os séculos II e III, o preço do trigo subiu 20.000%. Os romanos botaram a culpa na ganancia dos mercadores, chegando a punir com morte quem aumentasse preços. Era o início. Nessa época, nem havia a economia como ciência em si.

Muuuitos anos depois, lá na Alemanha dos anos 20, entre 1914 e 1923, a inflação atingiu a marca de 143 trilhões por cento como consequência da Primeira Guerra Mundial. Os salários também aumentavam mas é claro que não adiantava nada. Na verdade, só piorava. A hiperinflação alemã foi definitivamente um dos fatores que acabaram por levar Hitler ao poder, anos depois. Bem, o resto da história a gente conhece…

A inflação alemã permanece na memória dos cidadãos do país. Você diz die inflation, eles se coçam. Isso explica muito do jogo duro que a Alemanha faz na União Europeia, sempre dificultado a vida de países gastadores como a Grécia.

Apesar de provavelmente a mais famosa, a inflação alemã – acreditem se puderem – não foi a pior. Na Hungria, o que em junho de 45 custava 100 pengos, terminou o ano custando 41.500.

O Governo então, agiu para salvar o poder de compra da população e institui a correção monetária. Ótima ideia. Só que não. Foi como gasolina no fogo. A inflação na Hungria em 1946 chegou a 400 bilhões de trilhões por cento – apenas de janeiro a julho. Nem sabia que esse número existia… mas foi isso mesmo. Inacreditável.

O dólar americano começou aquele ano cotado a 1 milhão de pengos (mil vezes o valor de 6 meses antes), atingiu em julho o valor de 4.600.000.000.000.000.000.000.000.000.000 ou 4,6 milhões de trilhões de trilhões de pengos (e a gente reclamando do IOF).

Pensando por este prisma, até que no Brasil não foi das piores. Mesmo assim, a inflação é muito dolorosa. Ela abala a confiança na moeda, o símbolo da economia. Hoje, uma inflação entre zero e 4% é considerada saudável. No Brasil, está maior que isso – em torno de 6% a.a. nos últimos anos – mas, graças a Deus, ainda está beem longe de ser caótica.

Apesar disso, a inflação é como um dragão adormecido, esperando políticos que respondam aos anseios do povo por mais gastos, por maiores salários e reposição de inflação… a tentação do político em sucumbir é enorme. Mas é melhor deixar o dragão dormir em paz.

Volto ao assunto mais tarde…

A todos, um grande abraço!!

Anúncios